Total de visualizações de página

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Vitamina D ajuda a emagrecer

Altos índices de vitamina D no organismo aceleram o metabolismo, reduzem a barriga e ainda fazem bem à saúde




A vitamina D acelera o metabolismo abdominal
Que a vitamina D é fundamental para a saúde dos ossos e dos dentes, já se sabia. A substância também está relacionada à prevenção de várias doenças, como diabetes do tipo 1, mal de Parkinson e depressão. A essa lista, soma-se agora uma novidade: o nutriente ajuda a evitar e a combater a obesidade. Uma pesquisa recente da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, mostrou que pessoas com índices mais elevados de vitamina D no organismo afinam com maior facilidade, principalmente, a região abdominal.

Como o nutriente atua na perda da barriga

1. A vitamina D promove o metabolismo da gordura, cortando a produção do hormônio da paratireoide, o que acelera a quebra da gordura pelo fígado.

2. Depois, a vitamina D seca as gordurinhas - a substância ativa os receptores nas células adiposas, inibindo o seu crescimento.

3. A supervitamina também reduz o apetite, pois aumenta a quantidade de leptina, hormônio que envia sinais de saciedade ao cérebro.

4. Por fim, o nutriente ativa a força dos músculos - ele facilita a redução do excesso de gordura no tecido muscular, fator ligado ao aumento da força.


Tome de 15 a 20 minutos de sol diariamente

Apresentar níveis deficientes de vitamina D é uma realidade cada vez mais comum da vida moderna. Incluir na dieta alimentos que são fonte da substância - óleo de fígado de bacalhau, gema de ovo, produtos industrializados enriquecidos, manteiga e peixes, como salmão, sardinha, atum e cavalinha - ajuda a melhorar o quadro, mas está longe de ser suficiente.

O mais importante, garantem os especialistas, é tomar de 15 a 20 minutinhos de sol todos os dias, antes das 10 da manhã ou após as 4 da tarde, e sem protetor solar. "Deixar uma área correspondente ao tamanho da nuca em exposição já está ótimo.

"A pele produz vitamina D numa rapidez extraordinári. Para ter uma ideia da eficiência dos raios ultravioleta, 15 minutos de exposição solar no verão produzem a mesma quantidade de vitamina D fornecida por 100 copos de leite. No entanto, há limitações para a conversão da supervitamina pelo sol: a idade (idosos vão perdendo a capacidade de absorvê-la), tom da pele (negros sintetizam a substância em menor escala), tipos de roupa e até mesmo os níveis de poluição da atmosfera.

Sim ao suplemento

A única forma de descobrir se você tem carência de vitamina D é fazer um exame de sangue a cada seis ou oito meses. Caso o nível esteja abaixo do esperado, a saída é tomar suplementos nutricionais - mas atenção: sempre sob a orientação de um médico ou nutricionista, nunca por conta própria.

E, normalmente, quem suplementa a vitamina D também deve reforçar os níveis de cálcio e magnésio no organismo, pois, para que ela possa trabalhar de forma eficiente, precisa que os dois minerais também desempenhem bem a sua função. Importante: para surtir efeito, a suplementação deve ser feita por, no mínimo, seis meses.

Por que a vitamina D é essencial

Além de ajudar na perda de peso, bons níveis do nutriente no organismo mantêm a saúde em dia. Confira alguns benefícios da substância:

1. Imunidade turbinada
A vitamina D tem o poder de estimular a atividade das células de defesa no momento em que elas precisam entrar em ação.

2. Maior resistência a vírus
De acordo com um recente estudo da Escola de Medicina da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, pessoas com altos níveis de vitamina D ficam menos doentes do que as que têm índices baixos. E, quando as “vitaminadas” adoecem, se recuperam muito mais rápido. Isso porque o nutriente ordena as células brancas a fabricar um tipo de proteína que acaba com a infecção.

3. Sem mal de Parkinson
Segundo um estudo publicado em julho na revista Archives of Neurology, a vitamina D tem uma ação protetora sobre o cérebro: ela regula os níveis de cálcio, melhora o trabalho dos neurônios e desintoxica as células, diminuindo o risco de desenvolver a doença.

4. Câncer reduzido
A vitamina D tem influência em muitos dos genes responsáveis pelo crescimento e pela sobrevivência das células malignas. Ela também induz o suicídio das células cancerígenas, chamada de apoptose. Estima-se que o risco de desenvolver câncer de mama caia de 30 a 50% e o de cólon, 50%.

5. Coração mais forte
Quem tem deficiência em vitamina D, dizem os especialistas, corre um risco 80% maior de entupimento das artérias. Além disso, a substância regula mais de 200 genes e controla as contrações do músculo cardíaco. Os pesquisadores também acreditam que o nutriente esteja relacionado a uma pressão arterial saudável.

6. Amiga da longevidade
Taxas insuficientes de vitamina D aumentam o risco de morte das mais variadas causas em 26%, em comparação aos indivíduos com altos índices da molécula.

7. Longe do diabetes
Como a vitamina D estimula a produção de insulina, acredita-se que baixos níveis da substância estejam ligados ao diabetes. Uma nova pesquisa mostrou que as crianças com carência no nutriente têm uma chance 200 vezes maior de desenvolver o diabetes do tipo 1.

2 comentários:

  1. Saúde é coisa séria. Preste atenção no recado que a apresentadora Hebe Camargo traz para você: http://bit.ly/gwEDaB.

    Siga-nos no Twitter e fique por dentro da campanha Saúde Não Tem Preço: www.twitter.com/minsaude
    Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br ou www.formspring.me/minsaude
    Obrigado,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  2. se a vitamina D (em gotas) tem oleo de amendoim é possivel engordar?

    ResponderExcluir